O Ministério de Direitos Humanos, comandado pela baiana Luislinda Valois, sofre com corte nos recursos, segundo a Coluna do Estadão, do jornal Estado de S. Paulo.

De acordo com a publicação, depois de passar por um período com telefones cortados e sem sequer limpeza do prédio, a pasta segue sem contratos de estagiários e com cortes de 80% na emissão de passagens aéreas.

A assessoria de comunicação do órgão alegou que os cortes ocorreram depois que a então secretaria saiu da alçada do Ministério da Justiça. A pasta justificou ainda que os contratos estão sendo restabelecidos. (Bahia.Ba)