O programa Ciências sem Fronteiras, que pagava cursos de graduação para estudantes no exterior acaba de chegar ao fim. O Ministério da Educação (MEC) teria avaliado que o programa não trouxe resultados satisfatórios.

Um dos pontos considerados para por fim ao Ciências sem Fronteiras foi a deficiência dos estudantes na língua inglesa. Além disso, para o MEC, faltavam diretizes claras para definir o perfil do estudante que deveria ser beneficiado com o programa.

Os recursos disponibilizados também foram avaliados. Com o que seria gasto para o enviar 30 mil estudantes ao exterior, seria possível pagar a merenda escolar para 40 milhões de alunos do ensino básico.

No ano de 2015, o programa gastou R$ 3,2 bilhões com o envio de estudantes a universidades americanas e europeias. As bolsas de pós-graduação não serão afetadas e permanecerão como eram antes. (O Globo)