Técnicos do Serviço Especializado de Abordagem Social da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), em conjunto com o Conselho Tutelar, já cadastraram 845 crianças e adolescentes que estavam exercendo atividades laborais, acompanhando pais e responsáveis que trabalham como ambulantes em outras situações de risco, como negligência e uso de drogas.

As crianças cadastradas foram encaminhadas para serviços socioassistenciais: 93 para Centros de Convivência, 240 para atendimento no Conselho Tutelar, 377 para acompanhamento nos CRAS e CREAS. Outras 393 retornaram para seus respectivos lares. Durante o Carnaval, foram realizadas mais de 5 mil abordagens sociais para coibir situações de vulnerabilidade social.

Os agentes estão distribuídos em postos na Praça da Piedade, Ondina, Campo Grande, Praça Castro Alves e Escola Santa Terezinha. Há Conselhos Tutelares instalados na Escola Úrsula Catarino, Escola Wilson Lins, Escola Santa Terezinha do Menino jesus, Escola Imeja e no Procon. Quem presenciar situações de violação de direitos contra crianças e adolescentes pode registrar denúncia através do Disque 100. (Bahia Noticias)