O cantor e vereador, Igor Kannário, foi processado pela Policial Militar, Tainá Gomes, que alega agressão verbal do cantor, durante a Micareta de Feira de Santana. O caso, ocorrido em maio deste ano, voltou à tona após ser encaminhado para 16ª Vara Criminal de Salvador, na segunda-feira (02). Lá, o processo segue em análise. Se condenado, Kannário, que faz planos para nova candidatura como vereador, pode perder o mandato e ficar inelegível.

Nesta terça (03), durante uma entrevista no programa Universo Axé, da TV Aratu, o vereador falou sobre seu trabalho na Câmara. “A gente trabalha pouco e trabalha mais. Quem fala muito, rende pouco. Eu não estou interessado ou preocupado se estão dizendo que eu não estou trabalhando. Vai na página do vereador. (…) Eu não tenho tempo. O meu tempo hoje é depositado para a população, para os meus fãs, para meus verdadeiros amigos e para minha música”, disse o edil.

O caso

Na ocasião, o artista discutiu com os PMs pela forma como estavam conduzindo os foliões durante seu show. Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o momento em que o cantor se irritou com a PM, que agora o processa por calúnia.

“Eu sou mais autoridade que você, eu sou vereador, me respeite. Procure seu lugar. Ela está mandando eu tomar no meu **. Ela tem que me respeitar. Tem um policial que não está preparado para ser um policial. Aquela oficial está despreparada e continua agredindo as pessoas”, disse Kannário.

 

Varela Noticias