O compositor francês Frédéric Chopin (1810 – 1849) morreu por causa de complicações derivadas de uma tuberculose. A conclusão é dos cientistas que examinaram o coração do autor da “Marcha Fúnebre”, que há 170 anos é conservado em um frasco com álcool na Igreja da Santa Cruz, em Varsóvia.

O atestado de óbito de Chopin, que nasceu em Zelazowa Wola, na Polônia, e morreu em Paris com apenas 39 anos, aponta que ele faleceu por tuberculose, apesar de nos últimos tempos vários cientistas alegarem que a morte teve origem em uma fibrose cística, hipótese agora descartada. Michal Witt, professor da Academia de Ciências da Polônia e responsável pela equipe encarregada da pesquisa, disse à Agência Efe que o compositor morreu por causa de uma pericardite – inflamação do tecido que cobre o coração – provavelmente provocada pela tuberculose.

Segundo o pesquisador, o exame do frasco com o coração do músico foi feito há três anos, em segredo, e com todo o cuidado, conscientes da importância do momento, já que o pianista não é somente um renomado compositor, mas também um símbolo da Polônia. “Não abrimos o frasco onde o coração está porque isso teria acabado com o conteúdo”, explicou Witt, que contou que, mesmo assim, foi possível fazer uma minuciosa análise do estado do órgão, muito maior do que o normal e coberto com uma substância esbranquiçada. (Bahia.Ba)