Às margens do rio Paraguaçu, em Cachoeira, a abertura do Festival Origens foi marcada pela palestra sobre a história do plantio de tabaco no Recôncavo da Bahia. O momento foi conduzido pelo especialista no mercado de tabaco e bebidas, Cesar Adames, na noite desta quinta-feira (30), no Cine Teatro Cachoeirano.

A presidente do Sindicato da Indústria do Tabaco do Estado da Bahia (Sinditabaco), Ana Cláudia Mercês, falou da satisfação em realizar um evento sobre charuto, em um território histórico em sua produção. “Esse é um festival piloto, com um grupo seleto, e tem o objetivo de apresentar a qualidade e cadeia produtiva do nosso charuto, que muitas vezes é desconhecida. Além disso, queremos mostrar as harmonizações que o produto pode fazer”, explicou.

Renato Bergamo viajou de São Paulo para participar do evento e afirmou que está muito feliz em participar da primeira edição do festival. “Acho que é uma iniciativa muito bacana para o setor e é muito legal ver que todas as figuras importantes do segmento estão presentes. A expectativa é aprender bastante nos próximos dias e conhecer mais da nossa cultura, que às vezes olhamos muito para fora e esquece o que temos aqui em nosso país”, ressaltou.

Nós próximos dias, a programação do evento proporcionará visitas em fábricas e fazendas produtoras de charuto. Os visitantes conhecerão todo o processo, desde a semente até o charuto acabado. O Festival Origens oferecerá também workshops de harmonização entre o charuto e a cachaça, café e chocolate.

O festival é uma realização do Sinditabaco em parceria com o Sebrae, Prefeitura Municipal de Cachoeira, Prefeitura Municipal de São Félix, Café Latitude 13º, Chor Chocolate e Cachaça Rio do Engenho.

 

Matéria: Gabriela Nascimento/ ASCOM