Com a candidatura ameaçada por estar na lista de inelegíveis do Tribunal de Contas dos Municípios e por uma condenação na Justiça do Pará, o ex-prefeito de Iaçu, Adelson Souza de Oliveira contestou a informação de que pode ficar de fora das eleições deste ano.

O ex-gestor diz que as contas de 2005, 2008, 2011 e 2012, rejeitadas pelo TCM foram aprovadas pela Câmara de Vereadores local. Segundo ele, as contas rejeitadas não provocaram “prejuízo ao erário” e ocorreram pelo fato do mesmo ter ultrapassado os 54% de gasto com folha de pagamento de funcionários, exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Em relação à condenação por submeter pessoas à condição de trabalho escravo em uma propriedade rural no Pará, o ex-prefeito, que também é pecuarista, disse que recorre da sentença de primeira grau, e afirmou que o fato só lhe traria impedimento de tentar a eleição se não houvesse condições de recorrer à pena.

Adelson Oliveira pegou sete anos, dois meses e 15 dias de reclusão em sentença da juíza Maria Carolina Valente do Carmo. A magistrada tomou como base um relatório de Fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego feito entre o final de abril e começo de maio de 2007. (Editado por Tribuna do Recôncavo | Informações: Bahia Notícias)