Os Núcleos Territoriais de Educação (NTEs) continuam promovendo as culminâncias dos projetos artísticos e culturais protagonizados pelos estudantes das escolas da rede estadual. Nesta semana, são os NTEs 15 (Ipirá) e 16 (Jacobina) que realizam apresentações musicais e teatrais; exposições de obras de arte; exibições de vídeos; declamações de poemas e poesias e performances de dança.

As ações são ligadas aos projetos estruturantes desenvolvidos pela Secretaria da Educação do Estado: Tempos de Arte Literária (TAL); Produção de Vídeos Estudantis (PROVE); Dança Estudantil (DANCE); Festival Anual da Canção Estudantil (FACE); Educação Patrimonial e Artística (EPA); Encontro de Corais Estudantis (ENCANTE); Artes Visuais Estudantis (AVE) e Festival Estudantil de Teatro (FESTE).

No Centro Cultural de Jacobina, cerca de 80 estudantes participaram nesta quinta-feira (26), de apresentações do TAL, PROVE e FESTE. A aluna Caroline Almeida, 17, 3º ano do Colégio Estadual Ernesto Carneiro, no município de Saúde, no Norte baiano, está “feliz da vida” com a aprovação para a fase Territorial com o samba “O caminho e o beija-flor”, de autoria do colega Dionísio Andrade.

Foto: ASCOM / Secretaria da Educação do Estado da Bahia

“Já vinha tentando ser contemplada nesse festival há dois anos e quando vi o meu nome foi uma surpresa maravilhosa. O FACE é um projeto muito interessante, que eleva a nossa autoestima porque revela o talento artístico dos estudantes da rede estadual. Sem falar que, por conta do festival, a gente fica mais engajado com as atividades pedagógicas, melhorando o rendimento escolar”.

Ana Carolina Vitor, 16, 3º ano, classificada no EPA com a mostra fotográfica “O Terno de Reis entre espadas e coroas”, realizada junto aos colegas Rudivan Oliveira, 17, Nicole Dias, 16, e Juliana Lima, 18, fala da emoção em ter um trabalho de grande valor cultural ser reconhecido. “Estamos muito motivados, porque, com este projeto, buscamos resgatar uma manifestação cultural que está morrendo no distrito de Jenipapo, em Saúde. Eu, Nicole e Rudvan nascemos no local e crescemos vendo as apresentações do Ternos de Reis. Então, resgatá-lo na vida cultural da nossa localidade é algo que muito nos sensibiliza”.

A professora articuladora Vasti de Miranda, do NTE 16, fala sobre a contribuição dos projetos artístico-culturais na vida escolar. “A criação deles foi um marco na educação no Estado da Bahia, porque implementou as políticas educacionais, a diversificação e a inovação das práticas curriculares e a reestruturação dos processos e gestão pedagógicos, tendo como foco principal a melhoria das aprendizagens dos estudantes. Hoje, os nossos alunos cantam, dançam, pintam, representam. Por meio da dramaturgia, por exemplo, eles têm a oportunidade de autoconhecimento e de viver uma experiência individual e social”.

Protagonismo 

Esta quinta também foi dia de apresentações dos projetos das escolas dos alunos das escolas ligadas ao NTE 15 (Ipirá), dentro do III Encontro Territorial dos Projetos Artísticos e Culturais, que prossegue nesta sexta-feira, no Centro Cultural Elofilo Marques. A estudante Fabiane Oliveira Meire, 17, 2º ano, do Colégio Estadual Maria Evangelina Lima Santos, em Ipirá, irá defender, na sexta (27), a música de sua autoria, “Falso arcano”, na fase Territorial do FACE. “Esta é a segunda vez que participo do festival e a emoção é ainda maior porque, através dele, estou tendo a chance de mostrar o meu dom musical e isto é de uma alegria muito grande”.

A diretora do NTE 15, Nívea Maria Araújo, fala sobre a importância da realização dos projetos culturais. “A iniciativa fortalece a integração dos estudantes e despertam neles o dom artístico. As oficinas, que acontecem antes das apresentações, oferecem aos participantes elementos novos que vão subsidiá-los”.

Fonte: Ascom/Educação