Na Quaresma temos a oportunidade de renovar nossa espiritualidade. São 40 dias (que começam na Quarta-feira de Cinzas e vão até a Quinta-feira Santa) em que somos convidados a um tempo de penitências. A penitência é uma demonstração de amor a Deus. É uma demonstração do arrependimento pelos pecados cometidos.

Mas como nos penitenciamos? Por meio do jejum e da oração. Por quê? Porque, orientou o evangelista São Lucas, “se não fizerdes penitência, todos perecereis” (Lc 13,3).

A exemplo de Jesus, que jejuou e rezou ao longo de 40 dias no deserto para enfrentar as tentações, cada um de nós no Tempo da Quaresma é convidado a dedicar-se à espiritualidade, a fim de que possamos vencer a tentação do pecado, fortalecidos pelo jejum e pela oração.

A Igreja, ainda, recomenda que nesse tempo seja ampliado o exercício da caridade e feita a meditação da Palavra de Deus. Contudo, muitos cristãos têm dúvidas na hora de viver isso na prática. Por isso, acompanhe algumas dicas que podem te auxiliar a experienciar em plenitude o Tempo da Quaresma, recebendo as graças e benefícios que Deus nos concede nesse período:

 

O jejum

Essa penitência pode ser feita de diversas maneiras: a prática do jejum total, que significa que o penitente passará um dia da semana somente a pão e água; o jejum parcial, que consiste em abster-se de uma refeição; e a renúncia de um único alimento – penitência que pode ser estendida pelos 40 dias da Quaresma.

Contudo, para que o jejum de fato tenha o valor penitencial é preciso oferecê-lo a Deus como tal e ser acompanhado pela prática da oração. O jejum que não é feito dessa forma é apenas uma restrição alimentar.

Uma prática cada vez mais comum do jejum durante a Quaresma tem sido a abstinência de bebida, cigarro, churrasco ou de algum outro alimento do qual o cristão considera muito difícil passar sem, por exemplo, o chocolate. Entre as penitências é possível também abrir mão de passeios, festas e viagens a lazer.

 

A oração e meditação da Palavra de Deus

Por meio da oração crescemos na amizade com Deus, já que nos colocamos diante dele para ouvi-lo, amá-lo e segui-lo. A oração nos torna sensíveis à presença do Senhor em nossas vidas.

Na Quaresma somos convidados a intensificar os momentos de oração. Um instrumento que pode nos auxiliar a viver intensamente a prática da oração nesse tempo é o itinerário “Retiro Quaresmal”, elaborado pelo padre jesuíta Luís Renato Carvalho de Oliveira. O livreto apresenta um roteiro diário de orações, leitura orante da bíblia e meditação, além de exercícios espirituais que nos fazem crescer na vida de oração.

 

A caridade

A prática do jejum e da oração tem também a finalidade de nos abrir à caridade. Como Jesus indicou: “Sede misericordioso como vosso Pai é misericordioso” (Lc 6,36). Um cristão que não pratica a caridade não está cumprindo com sua missão. Portanto, procure realizar uma obra de misericórdia em favor dos necessitados: visite um asilo ou casa de repouso – nesses lares há muitos filhos de Deus esperando por um abraço e por uma conversa despreocupada; doe roupas e brinquedos para um orfanato; visite uma família carente, verifique qual a necessidade deles que você pode ajudar a suprir; enfim, são infinitas as possibilidades. No entanto, para que seu gesto tenha valor de penitência quaresmal, lembre-se de oferecer esse gesto a Deus.

 

livrarialoyola