Durante o XIII Congresso Diocesano da Renovação Carismática Católica(RCC), nos dias 13 a 15 de abril, no Estádio Viriato Correia, em Nazaré das Farinhas, ocorreu também o Congressinho – promovido pelo Ministério para as crianças, onde as crianças puderam vivenciar momentos de pregações, dinâmicas, brincadeiras, orações lúdicas, historinhas, louvor e pinturas. No domingo(15), as crianças tiveram oportunidade de participar da Missa voltada para o público infantil, inclusive o Evangelho e as músicas foram voltada para esse contexto. A homilia foi feita de maneira lúdica, com o uso de fantoches.

Segundo a coordenadora do Ministério para as crianças da RCC- Diocese de Amargosa, Aline Lopes, a programação do Congressinho é estruturado de forma muito parecido com o Congresso para os adultos, trabalhando inclusive com os mesmos temas, porém os evangelizadores trabalham de forma lúdica. “As crianças responderam de forma brilhante”, disse.

No domingo(15), as crianças do Congressinho junto com os membros do Ministério para as Crianças se apresentaram no Congresso, cantando uma música com o tema do ano, sobre abrir o coração para Jesus, fechando os temas trabalhados no sábado e no domingo no Congressinho. Algumas crianças também fizeram relatos de tudo que vivenciaram no final de semana. “Os pais tem nos dado um retorno positivo. Isso alegra o nosso coração, que é a missão, que é vontade de Deus e nós alcançamos, que foi evangelizar e levar o amor de Deus a essas crianças”, disse Aline.

Ainda segundo Aline, o ministério para as crianças visa desenvolver condições ideais de evangelização conforme a realidade de cada criança. “Precisamos compreender as crianças como um ser em formação porque ela tem capacidades que precisam ser desenvolvidas, organizadas, estruturadas em todos os níveis: físico, mental e espiritual e representa os pilares nos quais nós apoiamos e o Ministério para as crianças busca atender o chamado para a construção da evangelização que conduza a plenitude anunciada por Cristo(…).

Texto: Jocinere Soares | Fonte: Tribuna do Recôncavo