Um helicóptero que prestava serviço para a Rede Globo caiu na manhã desta terça-feira (23), em Recife, matando duas pessoas e deixando um ferido. As vítimas foram identificadas como o piloto Daniel Galvão, 37 anos, a 1º sargento da Aeronátuica Lia Maria Abreu de Souza, 34, e o operador de sistemas Miguel Brendo, 21 – esse último o único sobrevivente do acidente.

O dono da empresa, Wagner Monteiro, que também é piloto, contou um pouco sobre os três. “Daniel era extremamente experiente, cidadão americano, tinha carteira americana e brasileira, instrutor de voo. Estava no helicóptero também o operador de sistemas Miguel Brendo, meu enteado, inclusive. Ele estava fazendo o controle das câmeras. Tinha também uma convidada, uma controladora de voo”, afirmou.

Conheça um pouco mais das vítimas:

Daniel Galvão: Casado, o comandante não deixa filhos. Ele trabalhava há seis anos para a Helisae, empresa responsável pela aeronave. Daniel tinha licença para pilotar voo comercial de helicóptero, tirada nos EUA, e validada no Brasil em 2011. Ele tinha mais de 1,3 mil horas de voo.

Lia Maria Abreu de Souza: Na Aeronáutica há 17 anos, ela já trabalhou lotada em São Paulo e no Acre, antes de ser encaminhada para o Recife. A controladora de voo foi convidada pela Helisae para participar da transmissão na noite da segunda-feira (22). A sargento, que faria 35 anos na quinta-feira (25), deixa um filho de 2 anos.

Miguel Brendo: O rapaz completou 21 anos no domingo (21). Operador de sistemas, fazia a captação, gravação e transmissão de imagens. Ele está na Helisae há 1 ano e meio. Miguel sobreviveu à queda e segue internado.

 

Correio