Cinco renomados profissionais ligados às artes cênicas já estão atentos a todas as produções teatrais em cartaz em Salvador para eleger os destaques de 2017. Eles compõem a Comissão Julgadora da 25ª edição do Prêmio Braskem de Teatro, que até 17 de dezembro, irão avaliar e indicar os espetáculos concorrentes a mais tradicional premiação do teatro baiano.

Este ano integram a comissão, Bertrand Duarte, ator, apresentador e titular da Diretoria de Audiovisual do Governo do Estado da Bahia (DIMAS); Cristiane Mendonça, atriz; Edvard Passos, arquiteto, diretor teatral e dramaturgo; Mauricio Pedrosa, ator, diretor, cenógrafo e bonequeiro; e Warney Jr., dançarino, ator, coreógrafo e professor de dança de salão.

Para Warney Jr., os meses serão intensamente dedicados à observação e apreciação da cena teatral baiana. “O prêmio oxigena, transforma e impulsiona a produção baiana, assim como, resgata a autoestima daqueles que escolhem o fazer artístico como ofício”, conclui. A supervisão da comissão julgadora continua a cargo de Vadinha Moura, atriz, diretora, produtora teatral, gestora cultural e arte educadora.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail coordenacao@premiobraskemdeteatro.com.br.

 

BREVE CURRÍCULO DOS JURADOS

 

  • Bertrand Duarte

Ator e titular da Diretoria de Audiovisual da Fundação Cultural do Estado da Bahia (DIMAS/FUNCEB), Bertrand Duarte, iniciou sua carreira no teatro em 1980. Participou de encenações de importantes diretores teatrais como Ewald Hackler, Antonia Adorno, Luiz Marfuz, Manoel Lopes Pontes, Álvaro Guimarães, Arly Arnaud e Walter Seixas Júnior. Protagonizou o filme “Superoutro”, sob a direção de Edgar Navarro e outros quatro longas metragens. Enveredou pelo audiovisual e publicidade. Na televisão, apresenta atualmente o programa infantojuvenil “O Teco Teco”, da TV Brasil.

 

  • Cristiane Mendonça

Graduada em Dança pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Cristiane Mendonça começou a trabalhar com música em 1989 e, aos poucos, foi conquistada para o mundo teatral. Trabalhou com diversos diretores de destaque, à exemplo de João Falcão, Fernando Guerreiro, Paulo Dourado, Deolindo Checcucci, dentre outros. Comemorou em 2009 seus 20 anos de carreira com o monólogo musical Escândalo – A Comédia da Mulher Só. Foi indicada duas vezes ao Prêmio Braskem de Teatro na categoria Atriz, pelos espetáculos Alta Noite e Escândalo – A Comédia da Mulher Só. Venceu o Prêmio Braskem na categoria Atriz Coadjuvante, em 2007, pelo espetáculo Vixe Maria! Deus e o Diabo na Bahia e, em 2014, na categoria Espetáculo Infantojuvenil, com O Circo de Só Ler.

 

  • Edvard Passos

Bacharel em Arquitetura e Urbanismo e Mestre em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia, Edvard Passos atualmente dedica-se a investigação e prática continuada de encenações em espaços não convencionais. Em 2015, foi vencedor do Prêmio Braskem de Teatro, na categoria Direção, com o espetáculo Compadre de Ogum. É diretor e dramaturgo dos espetáculos A Prole dos Saturnos (Portugal, 2015); Aventuras do Maluco Beleza (Salvador, 2010); Flamengo(Rio de Janeiro, 2015); e A Voz do Campeão (Salvador, 2011). Desde 2014, integra a Federação Internacional de Pesquisa em Teatro (IFTR), onde é colaborador do Grupo de Trabalho Teatro-Arquitetura. É autor dos livros Aventuras do Maluco Beleza (EDUFBA, 2015); A Cidade Efêmera do Carnaval (Organizador, EDUFBA, 2016); Nomadic Theatre Experiment One: Compadre de Ogum (LAP, 2016).

 

  • Mauricio Pedrosa

Ator, Diretor, Cenógrafo e Bonequeiro, Maurício Pedrosa é bacharel em Direção Teatral, com licenciatura e mestrado em Artes Cênicas pelo Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia (PPGAC-UFBA). Formado em Pedagogo pela Universidade Católica do Salvador (UCSal), Pedrosa trabalha desde 1992 com teatro profissionalmente. Desde 2001 é professor Adjunto da Escola de Teatro da UFBA e coordenador do Ateliê Cenográfico MP, tendo participado efetivamente de 150 espetáculos.

 

  • Warney Jr.

Dançarino, ator, coreógrafo, preparador corporal e professor de Dança de Salão, Warney Junior iniciou sua trajetória profissional em 1979 na TV Aratu. Ingressou no teatro em 1986. Formado em Administração de Empresas pela Universidade Católica de Salvador (UCSAL), cursou a Faculdade de Interpretação Teatral. Dirigiu e coreografou inúmeros espetáculos teatrais, de dança e de música. Foi diretor da área de Dança do Sindicato dos Artistas e Técnicos (SATED-Ba), e realizou em 2003 a coordenação geral da 9th da Ci International Conference. Em 2009, criou o Projeto Deixa EU Dançar. Atualmente é diretor Artístico do Projeto Dancidade.

 

Sobre o PBT

O Prêmio Braskem de Teatro, que é uma realização da Caderno 2 Produções e patrocinada pela Braskem e Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda, é um evento tradicional já consolidado no cenário cultural da Bahia e tem o objetivo de valorizar, reconhecer e premiar a produção teatral do estado, abrindo espaço para o surgimento de novos talentos. A premiação, que em 2018 chegará a sua 25ª edição, exemplifica a estratégia de atuação social da Braskem na valorização e promoção da cultura e das artes, com foco no desenvolvimento humano.

 

Sobre a Braskem

A Braskem é a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, com volume anual superior a 20 milhões de toneladas, incluindo a produção de outros produtos químicos e petroquímicos básicos, e com faturamento anual de R$ 54 bilhões. Com o propósito de melhorar a vida das pessoas, criando as soluções sustentáveis da química e do plástico, a Braskem atua em mais de 70 países, conta com 8 mil integrantes e opera 40 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México, esta última em parceria com a mexicana Idesa.

 

Sobre o Fazcultura

Parceria entre a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) e a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o mecanismo integra o Sistema Estadual de Fomento à Cultura, composto também pelo Fundo de Cultura da Bahia – FCBA, CrediFácil Bahia (em parceria com a Desenbahia) além das linhas especiais de apoio, como os Pontos de Cultura e o Carnaval Ouro Negro. O objetivo é promover ações de patrocínio cultural por meio de renúncia fiscal, contribuindo para estimular o desenvolvimento cultural da Bahia, ao tempo em que possibilita às empresas patrocinadoras associar sua imagem diretamente às ações culturais que considerem mais adequadas, levando em consideração que esse tipo de patrocínio conta atualmente com um expressivo apoio da opinião pública.

 

Editado por Tribuna do Recôncavo | Informações: ASCOM