Enfrentar as dinâmicas sociais, econômicas e políticas que dificultam o acesso e ingresso da população negra nos cursos de nível superior de universidades públicas. Nesse sentido, o ciclo formativo Opará Saberes chega à 2ª edição em Salvador, como apoio à ocupação negra nas vagas de mestrado e doutorado.  A conferência de abertura, prevista para o próximo dia 24, às 14h, tem como tema ‘Teoria do Pensamento Branco: Branquitude e Branquidade’, com o professor Lourenço Cardoso.

Na sequência, às 17h, a feminista Djamila Ribeiro apresenta ‘O Pensamento de Simone de Beauvoir sob o olhar de uma filósofa negra’. O ciclo formativo acontece na Universidade Federal da Bahia (Ufba), no campus de Ondina. Já no dia 6 de novembro será a vez de Dr. Hélio Santos abordar a discussão sobre ‘O Feminismo Negro como vetor para o Desenvolvimento do Brasil: um contraponto ao racismo institucional’.

“Lutamos por monografias, teses e dissertações capazes de responder pautas como aborto, feminicídio, encarceramento, mas para isso as ferramentas teóricas não podem mais ser as da Casa Grande”, destaca Carla Akotirene, assistente social, doutoranda e professora da Ufba.  Aberto ao público e com inscrições feitas no local, o evento segue até 9 de novembro, contribuindo para que outras pessoas, assim como as 20 aprovadas após a primeira edição do Opará Saberes, possam encarar o desafio e permanecer na luta política contra a invisibilidade negra.

O ciclo formativo tem apoio do Grupo Gira/Ufba, do projeto Diálogos Insubmissos de Mulheres Negras, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM) e do Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher (Gedem) do Ministério Público do Estado (MPBA). Mais informações podem ser obtidas na fanpage do evento.

 

Ascom/ GOV-BA