O (TCM julgou procedente a denúncia formulada contra o ex-prefeito de Itaberaba, João Almeida Mascarenhas Filho (PP), que apontou graves irregularidades nas sucessivas prorrogações do contrato celebrado com a Cooperativa dos Profissionais de Transportes Alternativos  para locação de veículos leves e pesados. Cabe recurso da decisão.

O relator do processo, conselheiro Paolo Marconi, determinou a remessa dos autos à Procuradoria da República em Guanambi e ao Ministério Público Estadual para que sejam adotadas as medidas cabíveis em face de possíveis atos de improbidade administrativa.

A relatoria imputou ao tio do atual prefeito, Ricardo Mascarenhas (PSB), uma multa no valor de R$ 50 mil e determinou o ressarcimento aos cofres municipais da quantia de R$ 3,5 milhões, com recursos pessoais, referentes aos pagamentos feitos à Cooperativa sem respaldo contratual (R$ 3,2 milhões), assim como R$ 268 mil não retidos na fonte a título de ISSQN e IR devidos pela cooperativa em 2014 e 2015.

Marconi reforçou, ainda, o pedido para que sejam realizadas auditoria nos contratos da Cooperativa dos Profissionais de Transportes Alternativos com outras 10 prefeituras baianas – Caetité, Ibotirama, Itabuna, Jequié, Vitória da Conquista, Paulo Afonso, Santo Antônio de Jesus, Jacobina, Senhor do Bonfim e Serrinha. (Editado por Tribuna do Recôncavo | Fonte: Bahia.ba)