A Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (Sboc) divulgou recentemente o Panorama sobre grau de informação, hábitos e atitudes do brasileiro em relação ao câncer e mostrou que a população do país tem conhecimentos falhos sobre a doença. A pesquisa ouviu 1,5 mil pessoas em todos os estados da federação. Apenas quatro em cada dez afirmaram ter conhecimento mediano sobre a doença, enquanto 26% entender profundamente do assunto.

Diretor de Comunicação da Sboc, Cláudio Ferrari diz que “a estatística reforça a importância da realização de grandes campanhas informativas e educacionais para a população, uma vez que os tipos de câncer mais reconhecidos são aqueles alvos de ações, como o outubro rosa e novembro azul”.

O levantamento apurou que 73% não confiam na atuação do governo nos serviços de saúde. Quando questionados, 94% dos participantes já ouviram falar do câncer de mama, 90% dos de próstata e pulmão, 89% do de pele, 87% da leucemia e 86% do câncer de colo do útero. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), os exemplos citados acima são os que mais atingem a população.

Outros tipos de cânceres, como o do intestino não foram citados pelos entrevistados. O estudo mostrou que há desinformação também em relação a fatores de risco, já que 27% brasileiros não veem relação entre câncer e sobrepeso, 26% não relacionam o câncer com Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) e 21% acreditam que fumar de vez em quando não aumenta o risco de câncer.

Sinais desconhecidos

A falta de informação preocupa os especialistas, já que o paciente também pode desconhecer os sintomas que possibilitariam um diagnóstico precoce. Cerca de um em cada cinco brasileiros não reconhece que sangue nas fezes, perda de peso, sangue na urina ou dor no estômago são possíveis sintomas de um câncer.

 

Fonte: A Tarde