A Associação de Mulheres Guerreiras de São Roque do Paraguaçu realizou nesta terça-feira (18/04), na Casa da Cultura em Maragogipe, um evento de combate a violência contra a mulher.

A atual secretária de educação, que é coordenadora de catequese na Quase Paróquia de Nossa Senhora da Vitória, teve sua irmã e sobrinha (Rita e Priscila Medina), assassinadas há exatamente 5 anos. O criminoso matou a esposa e a filha biológica, fato ocorrido em Maragogipe.

Por conta desse caso e de tantos outros, surgiu a Associação de Mulheres Guerreiras, que nesta terça-feira (18), reuniu membros das secretarias municipais, a vereadora Raquel Passos, Padre Dvanildo Ribeiro, administrador da Quase Paróquia de Nossa Senhora da Vitoria em São Roque do Paraguaçu, entre outras pessoas, que discutiram sobre o enfrentamento à violência contra a mulher.

“O ser humano precisa ser respeitado, então não há porque se permitir certas situações psicológicas e físicas, que acontecem no dia a dia. Nós defendemos enquanto igreja a vida, e é por isso que a igreja católica no Brasil escolheu para nortear a Campanha da Fraternidade de 2018, o tema ‘FRATERNIDADE E SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA’, e o lema ‘EM CRISTO SOMOS TODOS IRMÃOS’. Nós vamos nos voltar a fraternidade contra a violência”, disse Pe. Dvanildo. (Tribuna do Recôncavo)