(Waldir Santos)

Quando eu vim morar em Salvador, aos 11 anos, ao dizer que era de São Felipe era comum ouvir das pessoas “Ah, sei, a terra do barbeiro”, fazendo referência à doença de Chagas. Ainda hoje até alguns médicos têm essa mesma opinião.

Isso se deve ao fato de quê, no começo da década de 1970, os municípios da região se recusaram a sediar o projeto da Fundação Universidade de Brasília, temendo adquirir o estigma que ficou para nós.

Os dados eram publicados, e aí chegavam aos livros de medicina e à imprensa, como do “posto de São Felipe”, mas o trabalho salvou  dezenas de milhares de vidas nos municípios de Maragogipe, Nazaré, Muniz Ferreira, São Félix, Conceição do Almeida etc, alguns dos quais com índice superior de ocorrência da doença. Tudo isso devido à grandeza e ao sentimento de humanidade do então prefeito Hugo Andrade Figueredo, que colocou em primeiro lugar a vida e a saúde das pessoas, não se preocupando com eventual desgaste político.

Ao longo da minha infância convivi com os mata-mosquitos da Fundação, como Heliodoro, sempre bem-humorado, e com a construção de casas de alvenaria em substituição às casas de pau-a-pique, cobertas de palha, e que serviam de esconderijo para os insetos.

Em seguida a esse trabalho, todos nós paramos de ouvir a resposta de que fulano “morreu de repente”, ao notar a ausência de um conterrâneo. As notificações da doença de Chagas caíram, logo em seguida, a quase zero, segundo eu soube muitos anos depois, em conversa com o pesquisador Mitermayer Reis Galvão, da Fiocruz, que ainda jovem trabalhou em São Filipe nesse projeto.

Hoje me surpreendo quando vejo uma deputada, que precisa se informar melhor, reavivando o estigma e dizendo que o município luta contra a doença de Chagas.

Não, deputada. A luta maior da saúde em São Felipe hoje, e é o merecido estigma que toda a Bahia carrega, é contra a falta de vagas nos hospitais e clínicas do Estado, é contra a famigerada Regulação, verdadeiro corredor da morte para os pobres.

É contra isso que a senhora deve lutar, se suas convicções partidárias permitirem, e assim estará salvando muitas vidas.

* Waldir Santos é Advogado da Uniao