rosalvinhoEm 15 de janeiro de 2016, neste mesmo veículo de comunicação, Tribuna do Recôncavo, publicávamos um artigo intitulado “ROSALVINHO SALES E SUAS PRETENSÕES”.  Nesse artigo chamávamos a atenção para a sua trajetória política onde eu afirmava que gostaria de vê-lo candidato novamente à prefeitura de Amargosa, conforme transcrito no parágrafo a seguir:

Eu, particularmente, gostaria de vê-lo candidato novamente. Claro que jamais votaria nele repetindo o erro cometido em 1996, mas dessa forma, ou Amargosa assinava o seu atestado de burrice eterna ou cairia, de vez, a máscara do bom puxador de votos. (parágrafo transcrito do artigo publicado em 15/01/2016)

Amargosa não apenas derrubou a máscara do “bom puxador de votos”, como também repudiou o seu retorno ao comando do município,  negando-lhe a vitória em todas as urnas, deixando de forma clara que: errar é humano, permanecer no erro é burrice, mas compactuar com o erro é canalhice.

Falar e repudiar os erros dos políticos do PT e de todos os outros partidos é salutar. Contestar a prática da corrupção na vida publica é mais que uma obrigação do cidadão, eleitor ou não, independente da sigla partidária de sua simpatia. Mas, querer trazer de volta à prefeitura, um político ultrapassado, cassado por improbidade, denunciado pela justiça e pela imprensa nacional por altos indícios de corrupção como é o caso, é inaceitável.

Com a queda, Rosalvinho faz reeditar a sua publicação nos outdoors da Cidade de Amargosa, que ele mesmo fez publicar no ano 2000, referindo-se a então candidata Iraci Silva: “4914 – A maior surra política da história de Amargosa”, só que dessa vez, contra a ele próprio, além de levar consigo pessoas que sempre tiveram uma postura política de combate à corrupção como o vereador Antonio Clóvis, Nadinho do Sindicato, Bernardino e outras lideranças do próprio PC do B; servidores ligados aos sindicatos do município, pessoas inclusive que foram drasticamente hostilizados e perseguidos pelo grupo Rosalvinho Sales, em seu segundo governo.

Com os resultados dessa eleição pode-se afirmar que nem Rosalvinho, nem a Prefeita Karina Silva e seu vice-prefeito, nem as demais lideranças que vestiram essa camisa, saíram do pleito derrotados. Eles foram ignorados pela história. Amargosa simplesmente disse não.

Em pleno século 21, onde o conhecimento está ao alcance de todos, e os direitos sociais e políticos abertos àqueles que se dispõe a lutar, a política não pode mais ser tratada como uma máquina de moer sonhos, gente e dignidade, mas, transformada na verdadeira arte do bem comum, onde a sociedade será sempre, o que ela (a política) for.

O Prefeito eleito, Julio Pinheiro, é jovem, tem formação, passado incontestável e principalmente, ficha limpa. Conquistou uma brilhante vitória, mas também, uma responsabilidade enorme perante a comunidade de Amargosa, que não esperamos “milagres”, mas o verdadeiro compromisso de buscar recolocar a nossa cidade no seu devido lugar. Parabéns a Júlio Pinheiro, parabéns a Amargosa. A Lei da Ficha Limpa por aqui prevaleceu!

Gilbenício de Souza Brandão

Colunista do Tribuna do Recôncavo

Consultor de RH

Residente em Santo Antonio de Jesus/Ba

Aproveite e curta nossa fanpage. Clique aqui ! 

COMENTÁRIOS:

Antonio Carlos Rocha: Parabéns Gilbenício, comungo com você em pensamentos. O povo de Amargosa realmente mostrou que não é burro nem canalha. A história se encarregará de comprovar este fato. Abraços, Carlinhos Rocha.