Demitido do Vitória no início do mês, o técnico Argel Fucks afirmou em entrevista ao jornal Zero Hora que um “colegiado” formado por membros da diretoria do clube foi responsável por sua dispensa, contrariando a opinião do presidente Ivã de Almeida.

“Aconteceu um desgaste natural. Eu não fui contratado por essa diretoria. Se falou que foi pela briga, da discussão contra jogadores do Bahia. A desclassificação da Copa do Nordeste e a saída da Copa do Brasil contribuíram. Mas já havia uma pressão grande. O Vitória hoje é um colegiado, há quatro ou cinco pessoas que mandam. O presidente não queria a minha demissão”, afirmou.

Argel falou ainda sobre as críticas que recebeu, que considera injustas frente aos resultados obtidos. “O Vitória é um time correto, cumpriu as obrigações comigo e minha comissão. Hoje, o que está acontecendo no futebol é chato. Se ganha de um, há críticas porque ganha de um. Se ganha de cinco, é porque o adversário era fraco. Se ganha dois clássicos de três, não está bom. Deveria ter ganhado os três”, ponderou. (Bahia.ba)