Os municípios de Santo Antonio Jesus e Castro Alves, no Recôncavo Baiano, foram contemplados com o Carro Fumacê, devido ao grande índice de pessoas infectadas pelos vírus da zika, Chikungunya e dengue, carro esse que foi enviado pelo governo do estado e começa circular na cidade de Santo Antonio de Jesus a partir desta segunda-feira (04/04).

O Portal Tribuna do Recôncavo ouviu o funcionário da extinta 4ª Dires em Santo Antonio de Jesus, Antônio Cortes (Antônio da Sucam), uma das pessoas que foi buscar o Carro Fumacê na cidade de Serrinha. Segundo ele, a partir do momento que o carro estiver passando na rua, os moradores devem abrir as portas e janelas para que o inseticida entre nas residências, no entanto é necessário tomar alguns cuidados: recolher os animais domésticos para os últimos cômodos da casa (pássaros, cães, gatos etc), os idosos, crianças e portadores de doenças graves também devem permanecer no fundo das casas durante 10 minutos, em seguida é importante trocar a água dos animais, pois os mesmos podem morrer se beberem a água contaminada pelo inseticida.

O trajeto será: primeiro na Rua da Rádio Clube, depois na Rua Antônio José de Almeida, Wellington Figueiredo, Bairro São Benedito, depois segue pela Avenida ACM pulverizando a região da delegacia, Fórum, Bairro São Paulo (invasão do Derba), passará no bairro Irmã Dulce, Calabar, Nossa Senhora das Graças, Urbis II e fecha o ciclo no Cajueiro. Durante 15 dias o carro passará de três em três dias nas ruas acima citadas.

Antônio Cortes, que trabalha no controle de pragas desde a década de 80, também falou ao repórter Hélio Alves sobre o barbeiro, besouro que transmite a doença de chagas. Segundo ele, a região do Recôncavo Baiano está com baixo índice, mas nos municípios de Santa Terezinha e Castro Alves os agentes de endemia da extinta Dires ainda encontram barbeiros. “São áreas epidêmicas e quase toda semana o servidor trás barbeiros, a gente leva para ser examinado no Lacem (Laboratório Central de Saúde Pública), mas nem sempre tão contaminados”, disse.

Em Castro Alves o índice maior de barbeiros é registrado na periferia da cidade e nas localidades rurais do Salgado e Jenipapo, já em Santa Teresinha o besouro é encontrado em quase todos os povoados. “Antes o barbeiro se alimentava do sangue dos animais, tatus, tamanduás e seringues, então o ser humano invadiu o domicilio dos animais e hoje as galinhas vão para a mata e trazem pra dentro de casa o barbeiro”, disse.

Nas residências o barbeiro se esconde durante o dia em buracos encontrados nas paredes para atacar suas vítimas a noite. “Ele dar uma picadinha no rosto, a pessoa dar um tapa e as fezes do animal entram nos poros”. Antonio concluiu chamando a atenção do homem do campo para o combate ao barbeiro e da população em geral para o combate ao mosquito da dengue, um mosquito urbano, que atualmente vai de carona em ônibus e caminhões para a zona rural. (Redação: Uanderson Alves/Tribuna do Recôncavo). 

Aproveite e curta a nossa fanpage. Clique Aqui